Notícias Gerais

Publicação traz diretrizes e orientações para o desenvolvimento de competências digitais na formação inicial docente

clique na imagem para ampliar

“Integração das TDIC na formação inicial de professores”, lançada pelo CIEB em parceria com a CESAR School, apresenta nove componentes curriculares que podem ser integrados aos programas de formação docente no ensino superior

A entrada em vigor das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica colocou a reformulação dos cursos de Pedagogia e Licenciatura na ordem do dia das instituições de ensino superior de todo o Brasil. 

Uma resolução do Conselho Nacional de Educação (CNE), publicada no final de dezembro do ano passado, apresentou instruções e normas para a atualização dos cursos e ainda instituiu a Base Nacional Comum para a Formação dos Professores da Educação Básica (BCN-Formação).

Além desse fator, a revisitação dos currículos também vem sendo motivada pela necessidade de desenvolver competências digitais nas futuras e futuros docentes. Estas competências já eram consideradas fundamentais para o exercício da profissão docente no século 21 e se tornaram ainda mais importantes no cenário pós-pandemia. 

Pensando em apoiar as coordenadoras e os coordenadores pedagógicos de cursos de formação inicial, o Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) desenvolveu em parceria com a Cesar School a publicação “Integração das TDIC (Tecnologias Digitais da Informação e da Comunicação) na formação inicial de professores“. Trata-se de uma proposta de componentes curriculares para serem integrados de forma transversal ou em disciplinas específicas em cursos de ensino superior. 

“Professoras e professores devem ter suas competências digitais bem desenvolvidas, estando preparados para serem pesquisadores reflexivos de sua prática pedagógica, criadores de experiências de aprendizagem, protagonistas de sua formação profissional ao longo da vida, além de terem capacidade de inovar na resolução de problemas complexos, de liderar a mudança necessária nos espaços educacionais e atuar como cidadãos digitais. A tecnologia pode ser importante aliada para o desenvolvimento destas novas competências, mas, para isso, é importante integrar conhecimentos e práticas sobre e com o uso de tecnologia na formação inicial”, declara Lúcia Dellagnelo, diretora-executiva do CIEB.

Panorama completo e mundial da formação docente

A publicação está estruturada em quatro seções. Na primeira delas são apresentados os resultados de um levantamento realizado acerca da formação inicial de educadores(as) na Austrália, Chile, Cingapura, Estônia e Índia, países que, em comum, têm investido fortemente na melhoria da qualidade da formação de suas professoras e professores. Na sequência, o documento traz uma análise das características dos programas existentes nestes países e as compara com a realidade do contexto brasileiro.

A terceira e última seção contêm sugestões de diretrizes para os cursos de formação inicial e nove sugestões de componentes curriculares.

“A construção de referenciais de competências para a inserção das TDIC nos cursos de formação inicial de educadores tem sido uma tendência mundial, além de se fortalecer como uma importante estratégia para melhorar os níveis de apropriação das TDIC nos processos de aprendizagem formal e não formal. Mais ainda, considerando a velocidade das transformações digitais da contemporaneidade, é urgente investir no desenvolvimento das competências digitais de todos, incluindo os educadores”, declaram Juliana Pereira Goncalves de Andrade Araripe e Walquíria Castelo Branco Lins, autoras da publicação.  

O documento já está disponível para download. Clique aqui.

 

Publicado em: Notícias Gerais