Ecossistema

Empresas validam classificação de tecnologias educacionais

clique na imagem para ampliar

Mais de 40 representantes de empresas de tecnologia educacional estiveram reunidos, dia 28 de novembro, em um evento que teve como foco a melhoria das compras públicas de tecnologias digitais. O objetivo do evento foi apresentar e obter a validação, pelos próprios envolvidos nos processos, do modelo elaborado pelo CIEB de classificação de tecnologias educacionais.

A inovação na educação pública tem sido um desafio. Gestores da área têm dificuldades em identificar, compreender e em definir critérios para contratação de soluções, equipamentos, produtos e serviços voltados ao uso de tecnologia em sala de aula. A partir dessa realidade, o CIEB desenvolveu um instrumento voltado a qualificar os processos de adoção de tecnologia educacional. “A ideia é que o gestor público, a partir da identificação de sua demanda por tecnologia, encontre facilmente soluções que o atendam, e possa definir de forma clara e precisa o objeto da contratação, como prevê a lei. Além disso, o modelo ajuda a aproximar a demanda por tecnologias educacionais nas redes de ensino da oferta disponibilizada pelo mercado, além de estabelecer um padrão de comparabilidade entre as tecnologias, para apoiar o gestor na escolha da proposta mais vantajosa e na contratação de forma segura, ágil e eficiente”, conta Gabriel Romitelli, analista de Educação do CIEB.

Desenvolvida por especialistas do setor, a classificação prevê duas categorias de recursos digitais: software e
hardware. Os software estão divididos em: conteúdos, ferramentas e plataformas. O modelo propõe níveis de qualidade necessários para cada tipo de tecnologia e permite a associação da compra de tecnologia com os aspectos educacionais.

 

Publicado em: Ecossistema